Diário de uma Escort: Me apaixonei pelo cliente

Nesta semana do dia dos namorados não poderíamos deixar de falar no que é mais comum acontecer do que muitos imaginam… Além do clássico filme “Uma Linda mulher” e das novelas das oito, onde acompanhamos as histórias de amor entre escorts e clientes, quisemos que uma anunciante contasse a sua própria história.

Priscila (nome profissional)  diz que a maior parte das acompanhantes já se apaixonou alguma vez por um cliente. São histórias onde esse amor acaba custando caro e cobrando por hora, porque a partir do momento que nós nos envolvemos e perdemos o jogo de cintura e a habilidade de lidar conduzindo a situação, tudo fica mais complicado.

Priscila deu meia volta e pediu para ficar com o cliente.

A sua experiência aconteceu numa noite que ela diz que não estava muito animada a descer para a orla de Salvador, onde trabalhava. Era tarde e sabia que um grande evento empresarial havia acontecido na cidade e com certeza, um bom cliente encontraria.

O que ela não imaginava naquela noite é que se envolveria com o cliente. Acompanhe tudo o que nos contou:

“Aconteceu tudo muito rápido, eu atendi na primeira noite e sério mesmo, não imaginei que acabaria no que vou relatar para vocês”.

Ele era um homem maduro, de uns 48 anos, bem sucedido e muito bonito. Não foi o primeiro que conheci com esse perfil, mas tinha algo nele que eu gostava… Não sei dizer se era o bom humor ou a maneira que me pedia que lhe beijasse. Eu nunca tive frescura com esse lance de beijo. Beijo mesmo! Mas aquela noite foi diferente porque na hora que nos despedimos eu senti que não era uma despedida normal de trabalho feito, trabalho pago e finalizado, sabe? Foi diferente…

Sentimentos estranhos se misturavam…

A gente escuta cada história de verdadeiros poços de carência e para nós, profissionais do sexo, isso é bastante normal. Mas, quando um deles te trata com naturalidade, te faz rir com um humor inteligente como ele me fez rir naquela noite, a gente fica mesmo com vontade de dar meia volta e pedir para ficar. E foi o que eu fiz. Me senti uma louca, mas fiz… Acho que o poço de carência naquela noite era eu… Ou ele, que aceitou.

Nos envolvemos com clientes, mas raramente a relação dará certo

Da noite que esticamos, para logo saber que ele voltava para Salvador a cada 15 dias, a gente emplacou um romance em que claro, a prejudicada fui eu. Eu era muito novinha, tinha 20 anos e o luxo e carência me consumiram. Não demorou nem duas voltas à cidade para que ele me colocasse num flat de alto padrão e pedisse exclusividade. Não soube lidar com tudo isso e por confundir meu papel, em poucos dias estava deixando de atender a outros e tendo crises de ciúmes e tentando persegui-lo em sua vida pessoal.

Da noite para o dia, ele sumiu! Eu fiquei sem chão. Já tinham passado uns 5 meses desde a noite que eu dei meia volta naquele hotel e me vi tendo que começar minha vida profissional outra vez.

Doeu muito, fiquei um palito… mas serviu para que eu me tornasse mais madura e mudasse minha maneira de trabalhar.

Desencanei de ficar nas ruas, decidi ter meu anúncio publicado no Skokka. Desta  maneira, me sinto independente e segura. Escolho quem chega até o meu local. Pode parecer bobeira, mas para mim, isso significada que eu controlo a situação.

A Priscila nos conta que adora sua forma independente de trabalhar. Sente-se orgulhosa da sua profissão e está decidida que procura clientes, não romances.

Será que se pode controlar? E você, já viveu uma história assim? Queremos saber!

Anita 😽

2 thoughts on “Diário de uma Escort: Me apaixonei pelo cliente

  1. Bruxo

    Olá outra vez Anita!
    Já está aqui o “pesado”.
    À entrada de hoje é estilo “pretty woman” (ponhendo o título original), né? Ainda que o final não fosse feliz, como nos contos.
    Moi boa é linda história, na nova entrei do Diário, parabéns novamente por tratar é dar a conhecer a vida das escorts (são pessoas e não uma coisa da que curtir e olvidar).
    👏🏼👏🏼👏🏼
    Que a jornada seja boa.
    Beijinhos.
    😘😘😘

    1. Anita Post author

      Total Pretty Woman!
      Sabe que às vezes eu acho que a maioria das mulheres fantasiam algo assim?
      Por isso, acho bem normal que as profissionais tenham experiências reais como as do filme.
      Obrigada por acompanhar-me…
      Beijinhos

Comments are closed.